FIEMG propõe 2,5% de reajuste salarial e banco de horas por 12 meses
--
Na primeira reunião de negociação da Campanha Salarial patronal apresentou a contraproposta às reivindicações dos metalúrgicos

FIEMG PROPÕE 2,5% DE REAJUSTE SALARIAL E BANCO DE HORAS POSITIVO E NEGATIVO

Publicado em 3 de setembro de 2018 | Notícias

Na primeira reunião de negociação da Campanha Salarial Unificada dos Metalúrgicos de Minas 2018/2019, realizada no dia 31 de agosto, entre a FEM/CUT-MG, FITMETAL e FEMETALMINAS, representantes dos trabalhadores, e a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerias (FIEMG), a patronal apresentou a contraproposta às reivindicações dos metalúrgicos.

Muito aquém do pleiteado pelos metalúrgicos, a FIEMG propõe reajuste salarial de 2,5% e aplicação desse mesmo índice nas faixas de piso salarial. A pauta dos trabalhadores reivindica reajuste de 3,5% acima da inflação.

Na proposta da patronal foi excluído o abono salarial para trabalhadores de empresas que não têm Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

A FIEMG propôs também a implantação do Banco de Horas positivo e negativo, com vigência de 12 meses. Além desse retrocesso oferecido pela patronal, a proposta da FIEMG altera várias cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

No próximo dia 12 de setembro, as federações de trabalhadores vão se reunir, na sede da FEM/CUT-MG, a partir das 10h00, para discutir, planejar as estratégias de negociação e construir uma contraproposta ao apresentado pela patronal.

As próximas três reuniões com a FIEMG já têm data marcada: dias 13, 20 e 27 de setembro, todas com início às 14h30.

Comentários foram encerrados.