Metroviários de MG aprovam adesão à Greve Geral

Publicado em 29 de junho de 2017 | destaque, Notícias

Em Assembleia Geral realizada na terça-feira (27), os metroviários decidiram aderir ao chamado das centrais sindicais para a Greve Geral desta sexta-feira, 30 de junho. A decisão reflete a grave ameaça que representa a votação da reforma trabalhista. Nesta quarta-feira (28), ela deve ser votada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), para seguir em regime de urgência para o plenário do Senado.

Nesta quinta-feira, 29 de junho, será realziada uma coletiva da Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG) sobre a Greve Geral, às 13h30, na Sala de Imprensa da Assembleia Legislativa (ALMG).

O governo Temer, os empresários, os banqueiros e os latifundiários acreditavam que teriam facilidade para aprovar as reformas da Previdência e trabalhista. Diziam que “encerrariam a fatura” dos direitos da classe trabalhadora até o final de 2016. Já estamos no segundo semestre de 2017 e eles ainda não conseguiram. Não contavam com a resistência de trabalhadoras e trabalhadores! É a nossa luta, as Greves Gerais e as manifestações que realizamos que impediram a aprovação das reformas.

Não é hora de recuar, podemos vencer!

É preciso continuar e fortalecer a luta contra as reformas. A hora é agora e a nossa arma é a Greve! Por isso, é muito importante nos unirmos nesse momento e agir coletivamente, única possibilidade de vencermos quem nos quer derrotar!

Barrar o retrocesso

Minas Gerais vai parar, assim como todo o Brasil, nesta sexta-feira, 30 de junho, para barrar o retrocesso, a retirada de direitos, o desmonte do patrimônio do povo brasileiro e de todos os retrocessos propostos pelo governo ilegítimo de Michel Temer. A exemplo do que aconteceu no dia 28 de abril, trabalhadoras e trabalhadores vão cruzar novamente os braços contra as reformas trabalhista, da Previdência e a terceirização, e para gritar “Fora, Temer” e “Diretas, já”.

Diante do difícil momento vivido no país e dos ataques aos direitos dos brasileiros, a população se organiza para impedir a aprovação das reformas trabalhista e da Previdência, assim como combater todos os retrocessos impostos pelo governo ilegítimo de Michel Temer.

A mobilização contará com a participação de inúmeras categorias de trabalhadores em todo o Brasil. Em Belo Horizonte, a concentração será realizada na Praça da Estação a partir das 9 horas. Às 15 horas, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), acontecerá uma audiência pública, da Comissão de Participação Popular, para debater a reforma trabalhista, em tramitação no Congresso Nacional.

Fonte: CUTMG/SindmetroMG

Comentários foram encerrados.