Negociação da PLR da Suggar está travada por culpa da empresa
--
Durante reunião realizada no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), dia 4 de setembro, ficou claro que a Suggar quer impor sua vontade e não quer negociar

Negociação da PLR da Suggar está travada por culpa da empresa

Publicado em 14 de setembro de 2018 | Notícias

Gerou impasse a negociação da Participação nos Lucros e Resultados 2018 (PLR) dos trabalhadores da Suggar. Durante reunião realizada no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), dia 4 de setembro, ficou claro que a Suggar quer impor sua vontade e não quer negociar.

A Suggar voltou atrás no acordo de uma PLR igual para todos e apresentou proposta de pagar um salário nominal, com um valor mínimo de R$ 200,00, que seria depositado em outubro. O restante, será pago de acordo com o cumprimento das metas, que dificilmente serão alcançadas.

Com o objetivo de legitimar sua proposta, a Suggar fez uma pesquisa com os trabalhadores, através de um abaixo assinado. Os funcionários que concordavam ou não com a proposta da empresa deveriam se identificar e expressar sua opinião. O receio de ser demitido fez com que a maioria assinasse concordando com a proposta da Suggar.

Com receio de ser derrotada pelos metalúrgicos (as), a Suggar não aceitou consultar a opinião dos funcionários sobre a PLR 2018 através de assembleia ou votação em escrutino secreto, proposto pelo Sindicato.

A proposta dos trabalhadores é de uma PLR de R$ 2,000,00 com o mínimo de R$ 1,000,00 mais seis cestas básicas.

A PLR 2018 proposta pela Suggar somente vai beneficiar os diretores, gerentes e os empregados com salários mais altos. Os metalúrgicos e metalúrgicas do chão de fábrica dificilmente vão receber valor superior ao mínimo que a empresa quer pagar.

Comentários foram encerrados.