Se você não lutar, sua aposentadoria vai acabar

Publicado em 28 de março de 2017 | destaque, Notícias

As Frentes Brasil Popular Minas, Povo Sem Medo, movimentos sindical, sociais, estudantis e populares vão se unir para mais um Ato Público contra reforma da Previdência, nesta sexta-feira (31), Dia Nacional de Mobilização, em Belo Horizonte. A concentração será às 17 horas, no Hall das Bandeiras da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O ato faz parte da programação do Congresso Extraordinário da Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG), que terá como tema “Resistências e Lutas”, que acontecerá, desde a manhã de sexta-feira, no local. Já estão confirmadas para o Congresso as presenças de João Pedro Stédile, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST); Carmen Foro, vice-presidenta da CUT Nacional; e Emir Sader.

Além do protesto, que também faz parte do Calendário de Lutas contra as Reformas da Previdência e Trabalhista da CUT/MG, várias categorias paralisarão as atividades. O 31 de março servirá para organizar a classe trabalhadora para a greve geral, em abril.

As mobilizações do dia 31, assim como ocorreu nos dias 8 e 15 de março, Dia Internacional das Mulheres e Dia Nacional de Paralisação, respectivamente, vão tomar as ruas de todo o país. Paralisações de categorias, manifestações, trancamento de avenidas e rodovias são algumas das ações previstas.

O ato do dia 15 de março levou mais de 150 pessoas às ruas de Belo Horizonte. Metroviários, trabalhadoras e trabalhadores dos Correios, da Copasa, da Cemig, da educação estadual, da rede de ensino privada, servidores públicos municipais de Belo Horizonte, técnico-administrativos do ensino superior, servidores da Justiça de 1ª Instância, auditores fiscais da Receita de Minas Gerais, metalúrgicos de BH, Contagem e Betim, entre outras categorias, paralisaram as atividades. Manifestações e paralisações aconteceram em outras 73 cidades do Estado.

Fonte: CUTMG

Comentários foram encerrados.