destaque

Várias gerações se reencontraram na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem e região, nessa terça-feira, 24 de janeiro, no evento em homenagem ao Dia dos Aposentados.

Ênio Seabra, presidente do Sindicato, cassado em 1968 pela ditadura militar, sentou ao lado do Paulo Cesar Funghi, que presidiu o entidade sindical de 1984 a 1992. Geraldo Valgas, atual presidente desde 2012, coordenou o encontro, prestigiado por vários aposentados.

Os convidados puderam conhecer a história da Previdência no Brasil, apresentada por Luciomar de Mello, coordenador do programa de educação previdenciária da gerência executiva do INSS de Belo Horizonte.

Dr. Fernando Marcelo, advogado previdencialista, falou sobre a Revisão da Vida Toda.

Dr. Fernando ressaltou que, antes de ingressar com a ação de revisão da aposentadoria, é importante fazer um cálculo bem detalhado das contribuições para não correr o risco de diminuir o valor da aposentadoria. “De 10 cálculos que eu faço somente três dão positivo”, disse.

Dr. Fernando atende toda quinta-feira, a partir das 13h00, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos.

Os músicos da Orquestra Jovem Escola Estadual Padre João Botelho fizeram uma emocionante apresentação no final do encontro.

VEJA AQUI TODAS AS FOTOS DO ENCONTRO

No próximo dia 24 de janeiro, data em que se comemora o dia do aposentado e também os 100 anos da Previdência Social no Brasil, o Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem e região vai promover um encontro para os metalúrgicos aposentados.

O evento será na sede do Sindicato, rua Camilo Flamarion, 55, Jd. Industrial, e terá início às 08h00, com um café da manhã.

A partir das 09h00, Luciomar de Mello, Coordenador do Programa de Educação Previdenciária da Gerência Executiva do INSS em Belo Horizonte, vai fazer uma apresentação sobre a história da previdência no Brasil.

Logo após, Dr. Fernando Marcelo, advogado previdencialista do Sindicato, vai falar sobre a revisão da vida toda. A revisão é uma forma de corrigir os danos provocados pela Reforma da Previdência de 1999.

O que de fato aconteceu, foi que as pessoas que se aposentaram após 29 de novembro de 1999 e já contribuíam antes de 1994, não tiveram essas contribuições contabilizadas e, por isso, foram prejudicadas na hora de se aposentar.

Ao final das palestras haverá a apresentação da Orquestra Jovem Escola Estadual Padre João Botelho.
É importante que a presença seja confirmada até o dia 20 de janeiro, através dos números (31) 98681-0729, Josiane, ou (31) 98379-1623, Val.

Milhares de trabalhadores e trabalhadoras participaram da grande festa dos metalúrgicos da Aethra, promovida pelo Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem e região.

Realizada nesse domingo, 18 de dezembro, a festa foi um grande sucesso, com muita comida, bebida, música ao vivo, sorteio de prêmios, entre eles uma TV de 50´ polegadas e uma moto zero quilometro.

A criançada também pode aproveitar. Brinquedos como escorregador, pula pula, futebol no sabão e outros fizeram a alegria dos baixinhos.

A festa dos trabalhadores da Aethra deste ano vai ficar marcada na história do sindicato como um dos maiores eventos festivo já realizado.

Veja todas as fotos clicando aqui!!!

A pauta de reivindicações para renovar a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT 2023/2024) dos trabalhadores do setor de reparação de veículos foi entregue ao Sindirepa nessa segunda-feira, 05 de dezembro de 2022.

Entre as principais reivindicações estão o reajuste salarial de 13,80%, a partir de março de 2023, e o abono de R$800,00, além da renovação das cláusulas sociais.

No ato da entrega da pauta, a comissão de trabalhadores reforçou a importância de negociar um reajuste salarial com ganho acima da inflação e que o índice seja aplicado de uma única vez sobre o salário dos trabalhadores.

O Sindimetal foi representado durante a entrega da pauta pelos diretores Geraldo Valgas, presidente do Sindicato, Heraldo Ferreira e Marcelino de Oliveira.

Assim que a data para a primeira reunião de negociação foi definida, o Sindicato vai informa-la.

O pontapé inicial da campanha salarial do setor de reparação de veículos será dado no dia 1º de dezembro, com a assembleia de aprovação da pauta de reivindicação para renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT 2022/2023).

A assembleia será virtual, pela plataforma Zoom, com primeira chamada às 17h30 e segunda chamada às 18h00.

Link de acesso à sala virtual da assembléia.

Entre as principais reivindicações, estão o reajuste salarial de 13,80%, retroativo a março deste ano, e o abono de R$800,00.

A entrega da pautal ao Sindicato das Indústrias de Reparação de Veículos (Sindirepa) está marcada para o dia 5 de dezembro, às 10h00.

A proposta de acordo para renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT 2022/2023), construída dentro da campanha salarial dos Metalúrgicos de Minas, foi aprovada pelos trabalhadores, durante assembleia realizada na última quinta-feira, 10 de novembro.

Para entrar em vigor, o acordo depende da assinatura da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), ainda sem data definida.

O ACORDO

Os metalúrgicos de Minas, que ganham até R$7.451,70, terão o salário reajustado em 7,19%, retroativo a outubro. Quem ganha acima dos R$ 7.451,70, terá um reajuste fixo no valor de R$ 535,77.

O acordo também estabelece o pagamento do abono único e especial no valor de R$250,00, nas empresas com até 10 trabalhadores, e R$500,00, nas empresas com mais de 10 empregados. O abono é devido somente nas empresas que não negociam PLR.

Todas as faixas de piso salarial serão reajustadas com o índice de 7,19%. Todas as cláusulas sociais da CCT também foram renovadas.

O Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem e região não vai funcionar no dia 14 de novembro, véspera do feriado da Proclamação da República, 15/11.

A entidade e os trabalhadores têm acordo de compensação de jornada nos feriados ponte.

O Sindicato volta com suas atividades normais no dia 16 de novembro.

Diante das reivindicações apresentadas pela comissão de trabalhadores, a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG) cedeu e enviou aos metalúrgicos, na noite dessa quinta-feira (3), nova proposta financeira, com importantes conquistas para os trabalhadores.

A FIEMG propõe reajuste salarial de 7,19%, retroativo a outubro, para quem ganha até R$7.451,70.

A mudança de postura da FIEMG em aplicar o reajuste de uma única vez sobre o salário do trabalhador é uma grande conquista dos metalúrgicos, que veem há anos lutando contra esse parcelamento.

Outra conquista foi a ampliação da faixa limite do reajuste, que saiu dos R$6.726,65 para R$7.451,70.

A patronal propôs ainda o abono único e especial de R$250,00, nas empresas com até 10 trabalhadores, e R$500,00 nas empresas com mais de 10 empregados.

Outra proposta é que todas as faixas de piso salarial sejam reajustadas em 7,19%. As reivindicações dos metalúrgicos sobre vale combustível e cesta básica foram recusadas pela patronal.

A comissão de trabalhadores se reuniu nessa sexta-feira, 4, e depois de muita discussão decidiu levar a proposta para a apreciação dos trabalhadores.

O Sindicato dos metalúrgicos de BH/Contagem está chamando uma assembleia para a próxima quinta-feira, 10 de novembro, às 18h30, na sede do Sindicato, rua Camilo Flamarion, 55, Jd. Industrial, Contagem.

É importante que os metalúrgicos (as) participem da assembleia para decidir os rumos da campanha salarial unificada dos metalúrgicos de Minas para renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT 2022/2023).

Ainda não foi na reunião dessa quinta-feira, 03 de novembro, que trabalhadores e patronal chegaram num acordo sobre o reajuste salarial da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT 2022/2023).

Os metalúrgicos de Minas foram pra mesa de negociação aguardando resposta da FIEMG sobre a reivindicação de reajuste salarial de 7,19%, retroativo a outubro, e 1% em janeiro de 2023.

A FIEMG apresentou uma nova contraproposta. Dessa vez ela propôs reajustar o salário dos trabalhadores em 4%, retroativo a outubro, e 3,19% em janeiro de 2023, totalizando 7,19%.

A comissão de trabalhadores insiste na luta pela valorização da categoria e deixou duas propostas na mesa de negociação, com ganho real.

A primeira reivindica reajuste salarial de 7,50% retroativo a outubro. A segunda seria um reajuste de 4,19%, retroativo a outubro, e 4% em janeiro de 2023.

Os metalúrgicos reivindicam ainda abono de R$500,00 para quem não recebe PLR. A FIEMG quer pagar R$230,00 para quem trabalha em empresas com até 10 funcionários e R$450,00 para as demais empresas

A patronal levou as proposta para análise e deve marcar nova reunião para segunda ou terça-feira.

Ver peliculas online