No dia de luta e manifestações, reforma da previdência sai de pauta

Publicado em 20 de fevereiro de 2018 | destaque, Notícias

O Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem e Região e a Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT de Minas (FEM/CUT-MG) iniciaram o dia de manifestações e luta contra a reforma da previdência ainda de madrugada, na Cidade Industrial, em Contagem, dialogando com os trabalhadores da GE sobre as consequências da reforma na vida da classe trabalhadora.

Na parte da tarde foi realizado um grande ato em frente à Federação das Indústrias (Fiemg), em Belo Horizonte. Foram espalhados patos amarelos de borracha pela calçada, devolvendo uma representação do golpe aos empresários, que deram sustentação ao impeachment da presidenta Dilma Rousseff e apoiam a tramitação da pauta golpista no Congresso. No final do ato, trabalhadoras e trabalhadores realizaram um Almoço Simbólico no local. Este ato contou com a participação e o apoio da Central Única dos Trabalhadores de Minas (CUT/MG), vários sindicatos CUTistas e do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Em Ato Público unificado, que encerrou o Dia Nacional de Mobilizações, Manifestações e Paralisações contra a reforma da Previdência, dirigentes e militantes das centrais sindicais, movimentos sindical, sociais, estudantis e populares ocuparam a Praça Sete, na Região Central de Belo Horizonte, na tarde desta segunda-feira (19). A manifestação, que ampliou o diálogo com a população sobre os efeitos da proposta golpista, foi seguida de marcha até à sede do INSS, próximo ao local. Os manifestantes deram um abraço simbólico ao prédio do instituto, que simboliza a Previdência Social, as aposentadorias e os benefícios sociais que estão sob ameaça. No encerramento do ato, a manifestação ocupou todas as vias da Praça Sete. O Dia Nacional de Mobilizações, Manifestações e Paralisações deu início à Semana de Lutas em Minas Gerais.

A pressão que os movimentos sindical e social vêm fazendo ao longo dos meses contra a reforma da previdência mais uma vez teve um resultado positivo. No dia em que o país foi tomado por manifestações, o presidente do Congresso Nacional, Eunício Oliveira (MDB-CE), determina a suspensão total da PEC da reforma da Previdência da agenda legislativa do Congresso até o final do ano.

Escrito por Leandro Gomes, com informações da CUT/MG

Comentários foram encerrados.