SINDICATO E TRABALHADORES DA SUGGAR LUTAM POR PLR E EQUIPARAÇÃO SALARIAL

Publicado em 15 de dezembro de 2021 | destaque, Notícias

Sindicato dos Metalúrgicos e trabalhadores se reuniram com a direção da Suggar, nessa terça-feira, 14 de dezembro, para cobrar a construção do programa de Participação nos Lucros e Resultados (PLR 2021), equiparação salarial e uma ação de combate ao assédio moral dentro da fábrica.

Ao longo deste ano o Sindicato tentou, sem sucesso, construir um acordo de PLR. Durante a reunião dessa terça, os representantes da empresa disseram que até o final deste mês vão se posicionar sobre o acordo.

O Sindicato entende que a Suggar reúne todas as condições para construir o acordo. A empresa está com a produção em alta e investindo na ampliação dos seus negócios.

EQUIPARAÇÃO SALARIAL

Uma luta antiga dos trabalhadores da Suggar é sobre a equiparação salarial. Vários funcionários relatam exercer a mesma função do seu colega, mas recebem salário inferior.

Ao apresentar a reivindicação, a Suggar informou ter uma lista com 48 nomes que serão promovidos no início de 2022. Mesmo com a boa notícia, o Sindicato vai seguir lutando pela construção de um plano de cargos e salários dentro da fábrica.

ASSÉDIO MORAL

Após denúncia de que os encarregados da Suggar estão cometendo assédio moral com os trabalhadores do chão de fábrica, principalmente dos setores da injetora e estamparia, o Sindicato dos Metalúrgicos exige que providências urgentes sejam tomadas.

Os funcionários relatam que a chefia ameaça com demissão e advertência para cobrar maior agilidade na produção.

Antes que acontece algum acidente ou que trabalhadores adoeçam, o Sindicato reivindica que a Suggar promova treinamento com os encarregados sobre relacionamento humano. A empresa informou que vai chamar os encarregados para conversar sobre o tema.

Participaram da reunião o presidente do Sindicato, Geraldo Valgas, o tesoureiro, Valdinei e os diretores e funcionários da empresa Leci e Márcio. Por parte da empresa participaram Dalva, José e Iuri.

Comentários foram encerrados.